Home / Eventos / Museu Treze de Maio realiza o 1° Festival Municipal de Artes Negras
559968_557709150935339_2145004110_n.jpg

Museu Treze de Maio realiza o 1° Festival Municipal de Artes Negras

No ano em que o primeiro Museu Comunitário de preservação, valorização e difusão da cultura afro-brasileira do Rio Grande do Sul completa 110 anos de existência, o FESMAN, 1° Festival Municipal de Artes Negras, se propõe como atividade comemorativa e reflexiva através da difusão artística e cultural negra da cidade e região nos dias 10 e 11 de maio.

O FESMAN

No decorrer do processo histórico brasileiro, Negras e Negros sempre lutaram e resistiram bravamente a toda a forma de opressão e discriminação. Eles forjaram formas elaboradas de lidar com a vida, com o corpo, assim como expressões musicais múltiplas. Constituíram uma estética corporal que está impregnada na cultura do povo brasileiro. Por meio da resistência política, da religião, da arte, da música, da dança e da sensibilidade com a ecologia , @s NEGR@S produzem, participam, e vivenciam a cultura afro-brasileira.
O 1º FESMAN, dentro dos 110 anos do Museu Treze de Maio, vem como ESÚ, Orixá da comunicação abrindo caminhos para todos aqueles que de alguma forma estão ligados a uma África no Brasil e em Santa Maria, e reconhecem a sua importância social, histórica, linguística, sagrada e cultural.
O Festival acontece nos dias 10 e 11 de maio, com várias apresentações artísticas como: música, dança, poesia, teatro, culinária, capoeira…
O Projeto tem como Coordenador Geral, Vilnes Gonçalves Flores Júnior, Nei D’Ogum, Coordenador do Núcleo de Ação Cultural Educativa do Museu Treze de Maio – NACE. Também fazem parte da equipe de construção desse festival: Marta Regina dos Santos Nunes, atual diretora técnica do Museu Treze de Maio, membros da diretoria do museu: Getulio Lemos, Letícia Aguiar, João Heitor, Alexon Messias da Rocha, Nayra Silva, Luis Henrique, Najla silva, e demais dinamizadores: Franciele Oliveira e Luciele Oliveira.
ASHÉ !!

O Clube Treze de Maio, 100 anos de história vivida

O atual Museu Comunitário Treze de Maio, iniciou sua história em 1903, como Sociedade Cultural Ferroviária Treze de Maio. Clube Social fundado por negros e para negros em alusão ao treze de maio de 1888, data que marca a “abolição” da escravatura.
O antigo clube foi construído pelos próprios ferroviários negros da cidade, local onde se realizavam bailes de carnaval adulto e infantil, bailes de debutantes, baile da primavera, baile dos casados, baile da balança, grupos de teatro itinerante, campeonatos de futebol de salão e de campo, aulas de etiqueta para moças e concursos de beleza, além de incentivarem seus associados jovens a ingressarem na universidade.

O Museu Treze de Maio, 10 anos de história contada

Após a decadência do clube o espaço permaneceu abandonado, até que em 2001, integrantes do movimento negro da cidade juntamente com estudantes de Museologia resolveram adotar o espaço com a proposta de recuperá-lo, revitalizá-lo e transformá-lo em Museu Comunitário, cuja proposta principal busca a valorização das pessoas e a preservação da memória e da cultura negra da comunidade santa-mariense.
Em 2004, o prédio foi tombado como Patrimônio Histórico de Santa Maria, devido a sua importância afetiva e histórica. Hoje, o museu é procurado e frequentado por militantes negros, por pessoas que faziam parte da antiga sociedade, por participantes do grupo de dança afro, capoeira, percussão e samba. Além do público interessado em atividades de pesquisa, encontros, dinâmicas, oficinas e debates.
Mais informações:
Facebook
Contato: Nei D’Ogum (55) 9906 8255.

Deixar um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current day month ye@r *