Home / Olhares Negros / Carmen Lucia Chaves e a Olhares Negros
cl-01

Carmen Lucia Chaves e a Olhares Negros

A Exposição Fotográfica Itinerante Olhares Negros vem chegando a sua reta final. Para fechar com chave de ouro, apresentamos hoje, 03 de novembro de 2013, o nosso penúltimo Making Off, com uma personalidade muito especial: Carmen Lucia Coelho Chaves, a Baiana!

Santamariense nascida em 18 de agosto de 1962, Baiana é filha de Elsa Coelho Chaves com Severo Chaves. Carmen Lucia é mãe de quatro filhas: Lidiane, Queise, Kauane e Meline, que assim como os netos, são as alegrias de sua vida, bem como a relação de união e cumplicidade que os sustentam.

Da sua trajetória cultural Baiana destacou a participação, ainda quando pequena, no clube negro santamariense Elite, da Vila Oliveira, bem como na Escola de Samba Vila Brasil, inclusive assumindo a Escolinha Infantil “Vila Brasil do Futuro”. Quanto à política, Baiana falou sobre sua filiação no Partido dos Trabalhadores (PT), do qual participou e organizou grupos.

Baiana trabalhou durante dez anos em um laboratório de análises clínicas, sonhando um dia poder atuar em indústrias, porém desistiu da área da saúde. Atualmente vive dos seus artesanatos, onde coloca sua alma e coração, seu ganha pão diário.

Carmen Lucia se considera mais uma pessoa a se somar ao movimento negro, levantando bandeiras para que suas filhas não passem por nenhum tipo de preconceito por serem negras ou mulheres. Quando perguntada sobre como é ser negra na cidade, Baiana de forma incisiva respondeu: “Eu não tenho problema de ser negra em Santa Maria ou em qualquer lugar do Brasil! Sou uma cidadã, pago os meus impostos… Quero respeito!”.

Confira as fotos dessa tarde!

cl-01 cl-02 cl-03 cl-04 cl-05 cl-06 cl-07 cl-08 cl-09 cl-10 cl-11 cl-12 cl-13 cl-14 cl-15

Aprovada via Fundo de Apoio a Cultura – FAC/RS, conforme Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul, de 22 de novembro de 2012, a Exposição Fotográfica “Olhares Negros” é uma atividade artística relacionada à Semana da Consciência Negra (novembro de 2013), além de contemplar os 110 anos de existência do Treze, que visa registrar a memória e a história dos negros e negras da cidade de Santa Maria, escolhidos pelo Museu Treze de Maio e comunidade, através do voto popular. A exposição visa valorizar e promover a autoestima dos indivíduos fotografados através de 24 fotos emolduradas, junto a mini biografias dos fotografados. O Projeto tem como Coordenador Geral, Vilnes Gonçalves Flores Júnior ou Nei D’Ogum – Coordenador do Núcleo de Ação Cultural Educativa do Museu Treze de Maio e como Produtora Cultural, Luciele Oliveira – Acadêmica do curso de Comunicação Social da UFSM.

Fazem parte da equipe de elaboração e execução do projeto: Franciele Oliveira – Acadêmica do curso de História UFSM; Letícia Aguiar – Acadêmica do curso de Arquivologia UFSM; Alexon Messias da Rocha – Acadêmico do Curso de História UFSM; Eráclito Pereira – Museólogo e Mestre em Patrimônio Cultural UFSM; Giane Vargas Escobar – Doutoranda em Comunicação, Mestre em Patrimônio Cultural UFSM e Especialista em Museologia.

 
 

Deixar um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current day month ye@r *