Home / Olhares Negros / Rosangela Flores e a Olhares Negros
rsg-02

Rosangela Flores e a Olhares Negros

Esta quinta-feira, 7 de novembro, marca um momento especial para o projeto “Olhares Negros”, finda um ciclo de 24 sessões fotográficas, cerca de 6 meses indo até os homenageados para registrar suas personalidades em fotos e suas histórias em áudios. Hoje você conhece a 24ª fotografada, a cozinheira negra Rosangela Regina Silva Flores!

Nascida em Santa Maria no dia 11 de julho de 1960, Rosangela é filha da dona de casa Eni Silva Flores com o militar, Vilnes Gonçalves Flores.

Na juventude, Rose frequentou a Sociedade Treze de Maio, destacando como uma das melhores épocas de sua vida, local onde dançou muito e onde conheceu seu companheiro. Mas Rosangela não se limitou apenas ao Treze, frequentava também o Clube negro União Familiar, relembrando que negros não eram bem vindos em clubes brancos “Era a única opção que nós tínhamos, ou era ir no Treze ou no Familiar… Era tudo proibido!”.

Em sua vida profissional, Rose contou que fez de tudo! Lavadeira, faxineira, funcionária de supermercado e cozinheira, profissão que atualmente desempenha. Rosangela é cozinheira de um restaurante local há 16 anos, atividade que gosta de desenvolver. Rose contou que quando começou, enfrentava muitas necessidades, mãe de dois meninos, precisava de serviço e ali deu seu início, onde aprendeu e se especializou.

Das lembranças que guarda de sua vida, a convivência familiar foi muito destacada por ela, tanto na infância, como recentemente, na vivência com a mãe, a quem tem cuidado e aprendido muito. 

Confira as fotos do último ensaio da Exposição Fotográfica Itinerante Olhares Negros!

rsg-01 rsg-16 rsg-15 rsg-14 rsg-13 rsg-12 rsg-11 rsg-10 rsg-09 rsg-08 rsg-07 rsg-06 rsg-05 rsg-04 rsg-03 rsg-02

Aprovada via Fundo de Apoio a Cultura – FAC/RS, conforme Diário Oficial do Estado do Rio Grande do Sul, de 22 de novembro de 2012, a Exposição Fotográfica “Olhares Negros” é uma atividade artística relacionada à Semana da Consciência Negra (novembro de 2013), além de contemplar os 110 anos de existência do Treze, que visa registrar a memória e a história dos negros e negras da cidade de Santa Maria, escolhidos pelo Museu Treze de Maio e comunidade, através do voto popular. A exposição visa valorizar e promover a autoestima dos indivíduos fotografados através de 24 fotos emolduradas, junto a mini biografias dos fotografados. O Projeto tem como Coordenador Geral, Vilnes Gonçalves Flores Júnior ou Nei D’Ogum – Coordenador do Núcleo de Ação Cultural Educativa do Museu Treze de Maio e como Produtora Cultural, Luciele Oliveira – Acadêmica do curso de Comunicação Social da UFSM.

Fazem parte da equipe de elaboração e execução do projeto: Franciele Oliveira – Acadêmica do curso de História UFSM; Letícia Aguiar – Acadêmica do curso de Arquivologia UFSM; Alexon Messias da Rocha – Acadêmico do Curso de História UFSM; Eráclito Pereira – Museólogo e Mestre em Patrimônio Cultural UFSM; Giane Vargas Escobar – Doutoranda em Comunicação, Mestre em Patrimônio Cultural UFSM e Especialista em Museologia.

Deixar um Comentário

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios estão marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Current day month ye@r *